37-INSULINA INALÁVEL
INSULINA INALÁVEL O diabetes resulta de um defeito no metabolismo da glicose devido à falta da queima dêste açucar por parte da insulina que provém do pâncreas. O metabolismo busca a absorção do que é necessário e o descarte daquilo que não interessa. A glicose é uma substância química energética indispensável à atividade f ísica e psíquica da pessoa. O diabetes pode ser do tipo l e do tipo 2; o do tipo 1 deriva de uma reação anômala do organismo sôbre as chamadas células beta do pâncreas do próprio indivíduo (auto-agressão). Daí o pâncreas se torna incompetente na produção adequada de insulina que deveria ir queimar a glicose no sangue e nos seus depósitos; isto determina um nível alto de glicose no sangue (hiperglicemia); trata-se de uma resposta equivocada do tipo auto-imune que representa um engano do organismo que, incorretamente, reconhece como corpo estranho suas próprias células específicas de certa função; o diabetes do tipo 2 está relacionado a pessoas com sobrepeso, com obesidade e dadas ao sedentarismo. Setenta e cinco por cento dos diabéticos do tipo 2 são obesos e inativos, o que corresponde a dez vezes mais do que os casos de diabéticos do tipo 1. As maiores complicações do diabetes estão ligadas a lesões da retina, dos nervos e dos rins levando os pacientes à cegueira, à neurite com paralisias e à nefrite com intoxicação do sangue. O tratamento do diabetes pode ser feito com comprimidos de certas substâncias químicas e/ou injeções de insulina. A injeção de insulina é muito rejeitada por muitos doentes e essa rejeição leva a grandes complicações porque não se cumpre com acerto o necessário tratamento por medo de agulhas ou pelo incômodo ou desconfortodas picadas. Agora os casos negligenciados e agravados vão ser reduzidos à proporção zero: a partir de 11 de maio próximo, será lançada no mercado a Exubera que é a insulina inalável; ela vem em pó num kit que dispara um blister lançando a substância pela boca como se fosse uma bombinha de curar crise de bronquite asmática; o pó atinge os pulmões onde é absorvido e carreado para a corrente sanguínea, normalizando a glicemia (nível de açucar no sangue). Essa regalia, pela ausência de furadas de agulha e manipulação de seringa, vai estimular a adesão dos pacientes ao tratamento, com vantagem pessoal e proveito social. Wilson Ayres Côrtes médico psiquiatra CRM - SP 7629 cortesdi@ig.com.br
Voltar