27-PRIMEIRO DE ABRIL
PRIMEIRO DE ABRIL O dia primeiro de abril dá oportunidade para mentir e enganar sem qualquer repreensão, sem nos remoer com sentimentos de culpa. De início, o primeiro de abril representou a revolta do povo contra atitudes do Rei Carlos IX da França, em princípios do século XVI. Segundo a Enciclopédia Wikipédia, o calendário gregoriano adotado em 1564 determinou que o ano novo fosse comemorado a primeiro de janeiro; os franceses se rebelaram exigindo que fosse seguido o calendário antigo pelo qual o ano se iniciava em primeiro de abril. Os insatisfeitos começaram, então, a ridicularizar o rei, fazendo brincadeirinhas entre sí, do tipo remeter bilhetinhos com o nome trocado, dar notícias falsas, contar estórias inverídicas. Em várias partes do mundo, o primeiro de abril é o Dia dos Tolos; na Itália e na França é o Dia do Peixe (vender o meu peixe, contar a estória a meu jeito, sem compromisso com a veracidade). De qualquer modo, o primeiro de abril funciona como a expressão da criança existente em todos nós; infelizmente, nem sempre se tem a justa medida dos efeitos das brincadeiras e os resultados podem ser danosos; raramente sabemos brincar com justo equilíbrio. Muita gente odeia as brincadeiras e as gozações do Dia da Mentira; quem não gosta deve ser respeitado, evitando-se incluir seu nome na lista das pegadinhas. As pessoas cada vez mais estão progressivamente preservando seus amigos das invencionices do primeiro de abril e aos poucos a cultura brasileira, em várias regiões, vem relegando ao esquecimento essa antiga tradição. Wilson Ayres Côrtes Médico Psiquiatra CRM 7629 cortesdi@ig.com.br
Voltar