26-OVO DE PÁSCOA
OVO DE PÁSCOA Naquela sala de hospital, a ansiosa expectativa dava ao rosto de médicos e enfermeiras, a marca da importância do acontecimento. A parturiente suada redobra as forças para expulsar o concepto, que já coroou; a manipulação ágil do doutor facilita a expulsão total do nenem, que se assusta ao inspirar o primeiro hausto do ar ambiente. A mãe deu à luz um novo habitante do mundo. Há nove meses atrás, não havia vida; existia, sim, na mulher, o óvulo no ovário e, no homem, o espermatozóide no testículo. A união do gameta feminino com o gameta masculino originou um ovo; exatamente isto, todos nós viemos de um ovo. É o ovo que se torna embrião desde a concepção até o terceiro mês de vida intra-uterina e, a partir do quarto mês passa a chamar-se feto; ao sair do corpo da mulher no trabalho de parto, é o nascituro e, em seguida, é denominado recém-nascido. É poristo que o ovo simboliza a vida e, com a vida, todo o mistério que ela contém; é o ovo que representa a alegria, o sentimento de vitória e de realização de projeto. Quando se festeja a Páscoa com o ovo-de-páscoa, reforçamos o simbolismo contido no renascimento de Jesus e no surgimento de uma doutrina cujo ideário é a alegria de servir; o simbolismo do ovo pascal é a representação do mistério da concepção pela união de opostos que se fundem em harmonia na plena vida, com toda sua incógnita e sua magia, infundindo em todos nós o espírito dos deuses. É essa a razão que nos leva a escolher instintivamente o chocolate para fabricar o ovo-de-páscoa. O chocolate vem do cacaueiro, que dá o Theobroma cacao; Theobroma significa alimento dos deuses, que provoca uma ligação com o infinito através da mágica do sabor, que produz o alto-astral, muito deleite e exultante alegria. A Páscoa é vida e o ovo-de-páscoa é uma forma de celebração da vida. Wilson Ayres Côrtes médico psiquiatra CRM-SP 7629 cortesdi@ig.com.br
Voltar