21-8 de Março; Dia da Mulher
8 de Março; Dia da Mulher Na Pré-História, o homem foi sucessivamente colhedor de vegetais, caçador e até pescador, enquanto que a mulher se mantinha na caverna. Durante pràticamente toda a História, a mulher foi estritamente doméstica (domus = casa, lar) só vindo a sair de casa muito mais tarde; antes, era o tanque, a cozinha, a costura e o cuidado dos filhos; ainda há pouco tempo, se falava em mulher como de "profissão do lar", de "prendas domésticas" ou simplesmente "dona de casa". Apenas em algumas sociedades primitivas a mulher teria assumido a postura matriarcal de liderança da família, com autoridade acima da autoridade do homem, de dona da casa e não "dona de casa", de proprietária das terras, da direção dos negócios da família e da aquisição de bens. Fora isso, a mulher, de espírito doméstico predominante, permaneceu sempre, a rainha do lar, onde ficava vinte e quatro horas do dia; com o decorrer do tempo, razões econômico-financeiras e psicológicas passaram a dominar a mente da mulher e ela começou a sair de casa e trabalhar fora, não abandonando, entretanto, a função típica do lar, mas sim, acucumulando tarefas de casa com as tarefas da rua, como operárias em fábricas. A experiência deu à mulher o prazer da liberdade e o orgulho de também se mostrar capaz de produzir em igualdade de condição com o homem, de ganhar dinheiro e ajudar o marido na manutenção da família. Essa dupla tarefa fazia da mulher merecedora de elogios mas seu duplo esforço nas ocupações do lar e do trabalho fora, era pouco apreciado pelo homem, até rejeitado ou menosprezado. Em 1857, no dia 8 de março, as operárias de uma fábrica de produtos têxteis em Nova York reivindicaram com uma greve diminuir o horário de trabalho de 16 horas para 10 horas por dia; reclamavam também melhores salários porque recebiam só um terço do ordenado dos homens; na confusão instalada, as mulheres foram trancafiadas no interior do estabelecimento onde, infelizmente, se registrou um incêndio com muitas vítimas, muitas operárias feridas, queimadas, entre as quais 130 morreram. A imolação dessas vítimas inspirou muitos movimentos reivindicatórios até que em 1910, foi decidida numa conferência mundial de mulheres a comemoração do dia 8 de março como o dia da prestação festiva de homenagens à mulher, sendo que a ONU (Organização das Nações Unidas) decretou o 8 de março como um marco histórico de reverência à alta capacidade da mulher no exercício de todas as funções em todas as áreas da atividade humana, com destaque para o heroismo de exercer bem o papel de mãe, esposa , dona de casa e, ainda, trabalhar fora para equilibrar a dinâmica não só do lar, mas também, da própria sociedade.Para festejar o dia 8 de março de 2007 como o Dia Internacional da Mulher, cito os versos da homenagem da Associação Paulista de Medicina com um belo poema de autor não revelado: Mulheres e Água Ambas desfilam claras afinidades, ora mostrando-se doces, ora salgadas, ora como espelhos cristalinos, ora como mares bravios, chegam em forma de delicadas e suaves ondas, ou em forma de arrebatadoras cachoeiras, têm a leveza da gota de orvalho e a coragem das fortes tempestades. . Wilson Ayres Côrtes Médico Psiquiatra CRM-SP 7629 cortesdi@ig.com.br
Voltar