117-INSEGURANÇA SOCIAL

 
A Tribuna de domingo, 13112011, estampa o cabeçalho de uma pesquisa local (Santos,SP):
"Sensação de insegurança domina região".
Realmente, faz alguns anos que a violência física, a agressividade verbal e os crimes de toda ordem imperam nos logradouros, na via pública e no interior dos estabelecimentos.
O belo trabalho do IPAT (órgão de pesquisa de A Tribuna) diz que estamos dominados pela sensação de insegurança.
Acontece que não se trata, na verdade, de simples sensação, mas sim, estamos paralisados pela insegurança mesmo! E com todas as suas repercussões sociais e psicológicas,
Poder-se-á admitir que o desequilíbrio mental da camada jovem da nossa sociedade deriva da licenciosidade das crianças face à permissividade dos pais; junte-se a isto, a inércia dos poderes constituidos que não se empenham no estancamento da avalanche que se avoluma sobre nossos ombros.
Com a criminalização da palmada e o ECA vigorando, a criança e o adolescente passam a ser educados pela sombra traiçoeira das ruas; zombam das diretrizes dos mais velhos, agridem ou desacatam os professores e outras autoridades, transformando-se, assim, numa personalidade com toda estrutura tendente à delinquência, haja visto que os crimes são, na sua maioria, praticados por crianças, ou adolescentes ou adultos jóvens.
Wilson Ayres Côrtes
CRM-SP 7629

Voltar