108-DEMOCRACIA
A democracia é o governo do povo; o povo delibera sobre si mesmo. Na democracia a soberania popular convive com a divisão equilibrada dos poderes.
Os poderes numa democracia estão a serviço do povo e devem tudo fazer, em harmoniosa cooperação, no sentido das garantias legais que preservam o direito à saúde, à educação, à segurança e a demais privilégios inscritos num documento chamado carta magna ou constituição.
A harmonia que se idealizara como básica para o bem-estar social vive, entretanto, sendo lesada há séculos.
A História nos conta uma sucessão de revoluções feitas em nome do povo para restabelecer os direitos que lhe foram usurpados. Em seguida, aqueles que se arvoraram em salvadores da sociedade vão fraudando insidiosamente as garantias constitucionais e passam a cometer os mesmos erros contra o povo.
Os poderes constituidos - executivo, legislativo e judiciário - se desviam das suas obrigações legais e se irmanam na dominação do povo.
Contra a máquina pública o povo não tem capacidade de reagir. A democracia, a partir de certo momento, passa a ser uma simples alegoria, uma ficção, em nome da qual se fere cada vez mais a soberania popular.
A arma do povo, que é o voto, não supera as forças que lhe esmagam o poder de decisão: encabrestamento de várias formas e lábia de palanque.
Wilson Ayres Côrtes
CRM-SP 7629

Voltar