98-Estresse Generalizado

Estresse Generalizado


 
 
O projeto Megacity do IPq (Instituto de Psiquiatria) do Hospital das Clínicas de São Paulo apresentou robusta pesquisa com 5037 pessoas residentes em 39 municípios da Grande São paulo, no período de maio de 2005 a abril de 2007.
 
O estudo concluiu que 45% da população já sofreu de algum transtorno mental.
 
Entre os distúrbios presentes estão ansiedade, depressão, estresse, fobias,  abuso  e dependência de álcool e outras drogas.
 
A violência, a competitividade e as circunstâncias adversas em cidades adiantadas, levam a uma tensão constante do indivíduo. Esse indivíduo reage fisiològicamente na busca do equilíbrio do seu meio interior, do seu funcionamentoo interno, para manter a homeostase, que é o balanço harmonioso das funções vitais; chega um momento em que, a pessoa, já muito estressada, decai, perde a capacidade de lutar e capitula diante da inclemência das agressões do ambiente, sobretudo desfavorável.
 
Esse quadro de falência do corpo, que fica sem forças para ragir, abre as portas para os desconfortos, a doença, o vício, o álcool, a droga e a entrega de um organismo sadio aos caprichos da doença mental e emocional.
 
Está cada vez mais difícil propor soluções num clima de capitalismo selvagem em que se vive para ganhar e gastar compulsivamente.
 
A sociedade competitiva em que vivemos é surda ao clamor da Psiquiatria Preventiva mas cada indivíduo em particular poderá assumir posturas que indiquem uma filosofia de ganhar menos, gastar razoável e viver mais.
 
Wilson Ayres Côrtes
médico psiquiatra
  CRM-SP 7629
 
Voltar