43-PERITO EM PERIGO
PERITO EM PERIGO Faz uns 6 meses que, por razões ligadas ao setor de perícias do INSS, uma médica foi executada em Governador Valadares, MG. Há algumas semanas, um médico-perito foi assassinado com um tiro na cabeça por um associado inconformado com a negação do seu benefício; essa morte ocorreu, se não me engano, em Patrocínio, também no Estado de Minas Gerais. Em Santos, há bem pouco tempo, uma segurada esfaqueou bàrbaramente um médico, quase que o levando a óbito. O Agora-SP de 08062007 noticia que uma doutora perita foi violentamente esmurrada por uma beneficiária cuja prorrogação de auxílio-doença fora negada; esta última perita vai ser operada de descolamento da retina produzido por um dos potentos socos da segurada; já o médico da Cidade de Santos, SP, continúa sob cuidados clínicos especializados. O texto do parágrafo acima não está vinculado a incidentes anteriores a êle; os fatos ali sumariados representam graves pipocos no curso da execução de normas recentes orientadas para o trato atual com os segurados. Como se explica que, mar remensoso, de uma hora para outra, comece a espocar vagalhões mortíferos; provàvelmente, ventos desastrados tomaram o lugar da brisa amena. Difícil dizer, com exatidão, a causa dessa onda de tumultos e agressões; mas, sem dúvida, há que se estranhar a mudança de clima sem as necessárias razões desencadeantes. Sabe-se que vivemos, no geral, atmosfera de inquietação social, seja pela péssima qualidade de vida, seja pelo desemprego que se alastra. As condições sociais adversas promovem desequilíbrios emocionais e despertam doenças, físicas e mentais, até então inaparentes. Diante de quadro social anômalo como o em que vivemos, é preciso que se tomem medidas de defesa, de contenção das investidas de um lado e, de outro lado, é preciso que todos se conscientizem de que há uma necessidade real de auscultar os indivíduos e procurar solucionar, efetivamente, a problemática da massa sofredora, problemática esta que é, ao final, a causa das explosões de raiva e fúria destruidoras. Wilson Ayres Côrtes médico psiquiatra CRM-SP 7629
Voltar